terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Eletrosul toca obras do parque eólico Cerro Chato, no Rio Grande do Sul

Estatal já construiu as bases dos aerogeradores para usinas que vão somar 90MW de capacidade instalada
A Eletrobras Eletrosul anunciou nesta segunda-feira (17/1) que as primeiras bases dos aerogeradores que irão formar o parque eólico Cerro Chato, que a estatal constrói, em parceria com a Wobben, na cidade de Sant´Ana do Livramento, no Rio Grande do Sul, já estão concluídas. As obras das fundações tiveram início em dezembro e até o momento foram concretadas três bases, de um total de 45, que formam as três usinas do complexo. Para marcar a data será realizada uma visita técnica ao empreendimento no dia 19 de janeiro com a presença de diretores das duas empresas, autoridades locais e imprensa.
Esta é a primeira planta para geração através dos ventos da Eletrosul - a concessão foi conquistada no primeiro leilão de energia eólica promovido pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), em dezembro de 2009. Na ocasião, a estatal vendeu energia a um preço de R$131 por MWh - o que a tornou, na época, a usina mais barata do País. Os trabalhos iniciaram pelo parque III – o primeiro a ser construído – sendo que em cada base foram utilizadas cerca de 50 toneladas de ferro para a armadura e lançados 500 m³ de concreto.
De acordo com o engenheiro Franklim Fabrício Lago, coordenador da implantação do complexo eólico, a previsão é de até o final do mês de janeiro outras cinco bases estejam concluídas. Finalizada esta etapa iniciam os trabalhos de montagem dos aerogeradores, prevista para fevereiro de 2011. As primeiras torres e alguns equipamentos chegam a Sant´Ana do Livramento ainda neste mês.
“O transporte dos equipamentos está demandando um planejamento de logística apurado, pois eles virão da Alemanha, de Sorocaba (SP) e Gravataí”, explica o diretor de Engenharia e Operação da Eletrosul, Ronaldo Custódio, lembrando que o uso de materiais da região foi decisivo na composição do preço final do empreendimento.
A construção da usina eólica – cuja conclusão deve acontecer no segundo semestre de 2011 – representa investimentos de R$ 400 milhões e a geração de 1.300 empregos diretos e 1.800 indiretos. Os módulos do parque somam 90MW em capacidade instalada. A planta é resultado de uma parceria formada pela Eletrosul (90%) junto à Wobben (10%), subsidiária no Brasil da alemã Enercon, fabricante de aerogeradores. As duas empresas constituíram a Eólica Cerro Chato S/A, responsável pela implantação, manutenção e operação das usinas.
O empreendimento, que faz parte do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC 2), contará, ainda, com uma subestação coletora em 230kV e uma linha de transmissão que levará a energia produzida até a Subestação Livramento 2, a partir da qual será distribuída para o Sistema Interligado Nacional.

Um comentário:

  1. felicitaciones, en Cali, Colombia apenas empezamos a trabajar la e. eólica.
    www.ingenieriabioclimatica.com

    ResponderExcluir