quinta-feira, 15 de julho de 2010

Gamesa, GE e Siemens estudam fábricas na Bahia

Aparentemente, o foco dos negócios eólicos está se voltando para Bahia. Depois de arrematar 390 MW em projetos no leilão de 2009, três grandes players do mercado de aerogeradores tem interessem em construir na Bahia a sua base de operações.
A Gamesa já teve sede na Bahia e em Pernambuco tendo realizado desenvolvimento de vários parques no nordeste e na região Sul. A General Electric já possui carteira projetos no estado e no Rio Gande também estuda formar. A Siemens, cuja base de operações no Brasil está localizada em São Paulo também tem interesse no estado. Além destes três a Alstom já havia divulgado que tem entedimentos para se instalar na Bahia (divulgado no fórum baiano de energia em 2009).
Tudo indica que o atrativo da Bahia é maior que dos demais estados com alto potencial eólico. Além de ter seu próprio potencial de geração eólica, conta com infra-estrutura e incentivos melhores. Segundo James Correia, secretário de Indústria, Comércio e Mineração da Bahia, o estado conta com incentivos tais como diferimento no ICMS, licenciamento ambiental simplificado, projetos de capacitação de mão-de-obra, além do já tradicional fornecimento de terrenos para a instalação das fábricas.
Com relação ao potencial eólico, a Bahia conta com quase 9 mil MW em novos projetos, praticamente 20% do potencial eólico do estado que é de 45 mil MW. Este valor é imponente uma vez que há muitas quebras em relação ao potencial eólico total por questões ambientais, áreas inacessíveis ou ocupadas por outras atividades, etc...
A constatação de tamanho interesse no estado da Bahia é um indicativo da necessidade de os estados concentrarem mais esforços na infra-estrutura. Caso se concretizem até duas fábricas baianas, Ceará, Pernambuco e Rio Grade do Norte terão ficado para trás. Boa oportunidade para refletir sobre a possibilidade de uma ação mais coordenada entre os estados para garantir condições ideais aos empreendedores e também geração de empregos distribuída entre os estados.
Com informações da EPE e Rodrigo Polito do Portal Energia Hoje.

Um comentário:

  1. Na Bahia tambem existe a empresa IBERIA de transporte de cargas especiais, que esta investindo em novos equipamentos para o transporte com segurança dos materiais para os aerogeradores, apostando no desenvolvimento desse novo projeto.

    ResponderExcluir