domingo, 27 de setembro de 2009

ABEEólica destaca sinalização do governo em prol de um programa de longo prazo para a eólica

Ministro Edison Lobão garante em Brasília a realização anual de um ou dois leilões de eólica no Brasil e seu discurso se alinha ao Programa 10.10 criado e disseminado pela entidade

O ministro de Minas e Energia Edison Lobão afirmou, em 23/09, que anualmente serão realizados de um a dois leilões de energia eólica no Brasil. O pronunciamento ocorreu durante evento sobre o Pré-sal e o futuro brasileiro, em Brasília. Esta foi uma das primeiras sinalizações do governo federal assumidas publicamente pela figura do Ministro de Estado de Minas e Energia quanto ao desenvolvimento de um programa de longo prazo para a energia eólica no País.

Para a ABEEólica (Associação Brasileira de Energia Eólica), mais uma louvável atitude pioneira do Ministro Lobão, que assumiu o compromisso do 1º Leilão de Eólica que irá acontecer no próximo dia 25 de novembro de 2009. Em prol do aumento de competitividade da indústria, esta sinalização da continuidade dos investimentos em eólica mostrada de forma clara é um dos pleitos mais importantes defendidos pela entidade.

O anúncio do ministro se alinha ao Programa que a ABEEólica criou e convencionou chamar de 10.10, ou seja, a instalação de 10 GW de energia eólica ao longo de 10 anos, e que visa atrair novos fabricantes para a cadeia de energia eólica nacional, contribuindo assim para a livre concorrência, a modicidade tarifária e à segurança energética brasileira para os próximos anos. "É com grande satisfação e confiança que recebemos essa mensagem do ministro Lobão favorável a implementação de um programa eólico de longo prazo no Brasil, um pleito que a entidade defende e dissemina para a opinião pública e os órgãos governamentais", afirma Lauro Fiuza Junior, presidente da ABEEólica.

De acordo com Fiuza Junior, o Programa 10.10, conforme estimativa da ABEEólica, será capaz de gerar mais de 15 mil novos empregos diretos e indiretos, que se somariam aos 12 mil postos de trabalho já existentes hoje e envolvidos nos projetos eólicos em operação e em construção.

O primeiro leilão exclusivo de eólica está marcado para o próximo dia 25 de novembro. Serão, ao todo, 441 empreendimentos que somam 13.341 MW de capacidade instalada foram inscritos na concorrência. Em relação à quantidade de eólica que deverá ser contratada na oportunidade, Lobão informou que o governo ainda não se decidiu.

Para o presidente da ABEEólica, Lauro Fiuza Junior, a expectativa é de que entre 2.500 MW e 3.000 MW sejam contratados nesse primeiro momento. "Com leilões anuais, as fábricas e as empresas se instalarão e as que já estão por aqui se manterão com o intuito de dar continuidade e até mesmo ampliar os investimentos em energia eólica no Brasil", diz Fiuza.

Lobão destacou também no evento que a descoberta do Pré-sal é de grande importância, mas salientou que o Brasil deve continuar investindo pesadamente em energia renováveis, como a eólica, para permanecer como nação detentora da matriz energética mais limpa do mundo.

Fonte: Portal Fator Brasil <www.revistafatorbrasil.com.br> 26/09/2009 - 11:39

Nenhum comentário:

Postar um comentário