quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Desserviço ao meio ambiente: ONS despacha 2.100 MW de térmicas a óleo para manter nível-meta.



Procuradores do MP de várias regiões do Brasil criam obstáculos à crescimento da oferta de energia renovável brasileira. A restrição não discrimina as fontes embora atue de forma regional. No Ceará, as eólicas são as perseguidas. No Paraná, as PCHs são combatidas pelo MP do estado. No plano nacional as UHEs são as grandes vilãs. Fazem isto nome do interesse público e da preservação do meio-ambiente.  

A matéria do Canal Energia mostra um dos resultados da pauta ambientalista. Serão descarregados na atmosfera CO2 a um ritmo de mais de 30.000 toneladas por dia. (Suape II emite 6.000 tonCO2/dia para 380 MW). Há modos de evitar este consumo com energia renovável através de grandes barragens ou mesmo com o aumento da garantia física pela construção de PCHs e ou Eólicas(não ajudam muito pois são intermitentes). No entanto, mesmo as hidrelétricas a fio d'água não conseguem sair do papel.

Obviamente o fato não se deve apenas ao resultado das ações dos MPs pelo país. Vale, entretanto, como reflexão sobre a diferença entre uma análise crítica e lógica das opções para o crescimento do país e a simples gritaria baseada em uma pauta que, muitas vezes, é puramente política. 

O conteúdo do Canal Energia não pode ser reproduzido sem autorização prévia. Para lera a matéria  de Milton Leal, clique aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário